terça-feira, 28 de junho de 2011

Médicos investigam caso de garota que ‘chora’ sangue no interior de SP


chora1
Débora Oliveira dos Santos, de 17 anos, afirma sangrar pelos olhos quando fica nervosa
O caso da adolescente cearense que afirma sangrar pelos olhos quando fica nervosa, triste ou ansiosa está sendo investigado por médicos paulistas. Em Meridiano, no interior de São Paulo, onde a estudante mora há dois meses, ela é conhecida pela população como ‘a garota que chora sangue’. O Hemocentro do Hospital de Base de São José do Rio Preto apura se esses sangramentos são decorrentes de uma coagulopatia (distúrbios da coagulação sanguínea) ou problemas emocionais. Um tipo de tumor é a hipótese mais remota. Só após o resultado dos testes a que ela será submetida será possível definir um tratamento.

Um médico de Meridiano, município de quase 5 mil habitantes, e o prefeito da cidade afirmam ao G1 terem visto o sangramento em Débora Oliveira dos Santos, de 17 anos. A mãe da estudante, que deixou o Ceará com a família em busca de um tratamento para a filha no estado de São Paulo, confirma a história. A prima encaminhou fotos que mostram os olhos da jovem sangrando. Um vídeo também foi postado na internet e exibe uma das crises da garota.

“Eu me controlo para não chorar. Não posso me exaltar bastante porque vou sangrar. Eu ainda não me acostumei. É muito chato eu não poder me expressar. Vou fazer prova, fico nervosa, choro e sai sangue. Alguns meninos e meninas ficam assustados e sentem nojo. Ficam longe de mim. Então eu fico meio que isolada dos demais. A minha sorte é que os professores são a melhor coisa da escola”, diz Débora.
Em entrevista ao G1, Débora conta que eventualmente falta às aulas quando ocorrem os sangramentos. “Há algumas semanas minha camiseta começou a ficar manchada na altura dos mamilos. Quando vi, estava sangrando. É horrível. Quando vou às aulas agora, uso algodão e sutiãs bem alcochoados”, diz a aluna da Escola Estadual Donato Marcelo Balbo.

Envergonhada, a garota conta que seu passatempo é ler livros ou jogar vôlei com os irmãos. “Adoro ler a saga do Crepúsculo. Também sou fã do jogador Giba, da seleção de vôlei. Acompanho todos os jogos do Brasil pela TV. Gostaria de conhecê-lo um dia, mas tenho vergonha porque tenho esse problema de sangramento e não gostaria de sangrar na frente dele. Mas soube que ele também teve um problema no sangue na infância [leucemia] e se curou”, afirma a jovem, que quer ser professora de história.

Parentes contam que Débora começou a sangrar com 14 anos, quando trabalhava como babá e foi agredida por sua patroa no Ceará. Os sangramentos eram somente nos ouvidos e nariz.

Em novembro, a menina passou a sangrar também pelos olhos, couro cabeludo e mamilos, segundo a dona de casa Maria Gorete Oliveira dos Santos, de 43 anos, mãe da garota. E piorou quando o marido dela morreu afogado em maio, no Ceará, tentando salvar um dos filhos. “Foi a vez que Débora mais chorou e sangrou. Precisou ser internada porque já estava entrando num quadro de hemorragia”, conta Maria Gorete.

De acordo com a família da adolescente, em Fortaleza os médicos suspeitaram de púrpura trombocitopenica idiopática (PTI), doença relacionada à coagulação do sangue, caracterizada pela diminuição do número de plaquetas. A PTI, que também pode ser chamada de púrpura trombocitopenica imunológica, quando estiver relacionada ao aparecimento de anticorpos que destroem as plaquetas, provoca sangramentos.

Os médicos cearenses prescreveram Transamin e Dexametasona para Débora tomar, segundo os parentes. Os medicamentos continuam sendo ministrados para controlar a coagulação sanguínea. Apesar disso, os remédios não acabaram com os sangramentos, segundo Maria Gorete.
“Como no Ceará os médicos não souberam dizer o que minha filha tem direito, e os remédios não trouxeram a cura, saí de lá e vim para São Paulo. Foram os próprios médicos cearenses que me disseram para vir a São Paulo tentar buscar alguma resposta para saber o que minha filha tem. Também falaram que pode ser algo emocional porque a menina apanhou da ex-patroa. Estou confusa. Tenho parentes aqui que me disseram que os médicos paulistas poderiam ajudar no caso da menina e vim em busca de uma resposta e um tratamento para ela”, diz Maria Gorete, que está morando ‘de favor’ na casa de parentes em Meridiano com mais cinco filhos.

O G1 não conseguiu localizar a ex-patroa de Débora e os médicos que a atenderam no Ceará para comentar o assunto.
MeridianoEm Meridiano, um clínico-geral diz ter ficado abismado ao ver a jovem entrar no seu consultório. “Fiquei abismado quando vi o sangue escorrer pelos olhos dela porque ela aparentemente não tinha causa externa de arranhadura. Me indagava de onde vinha aquele sangramento”, afirma o médico Orlando Cândido Rosa Filho.

O prefeito de Meridiano, José Torrente (PTB), diz que a sua administração fará o que for possível por Débora. Ele conta que também ficou assustado ao saber do caso.

“Eu nunca vi igual, saía sangue do olho, cabelo, para todo lado. É um trem que nunca vi. É um trem esquisito. Ela se enervou e foi no banco da pracinha e chorou. Mas em vez de sair água saiu sangue. Se assustaram e ligaram para minha esposa, que socorreu. Isso aconteceu mesmo. Achei que fosse menstruação, mas que ao invés de sair por baixo saía pelos olhos. É incrível. Todo mundo se assustou”, diz o prefeito, que está oferecendo o medicamento para a garota.

A prima de Débora, Diana Viana de Oliveira, de 25 anos, técnica em enfermagem no Posto de Saúde de Meridiano, afirma que seus parentes que vieram do Ceará não têm muitos recursos. “Minha tia e meus primos ainda procuram emprego aqui. Alugamos uma casinha para eles, mas eles não possuem móveis, roupas”, diz Diana.

De acordo com Diana, enquanto algumas pessoas se sensibilizaram com o caso de Débora e a ajudam com mantimentos, outras, no entanto, acham que os sangramentos são decorrentes de falta de espiritualidade. “Já chegaram a mandar minha prima rezar muito. Mas ela é evangélica e ora todos os dias. Só não tem ido muito à igreja por causa do preconceito de alguns”, diz.
O mais provável é que Débora tenha coagulopatia como causa do sangramento, mas também tem de ser investigado esse histórico dela de um possível problema emocional
Paulo Antonio Zola, hematologista
HematologistaProcurado para comentar o caso de Débora, o hematologista Paulo Antonio Zola, patologista clínico e hematologista do Hemocentro do Hospital de Base de São José do Rio Preto, afirma que a adolescente será submetida a um mielograma, exame para investigar se a medula óssea tem algum problema na fabricação das células sanguíneas.

Segundo Zola, que não viu a jovem sangrar, quando as plaquestas deixam de coagular o sangue, há sangramentos por várias partes do corpo. “Sai por todo lugar, pelo nariz, gengiva, boca, urina. Não é que ela chora sangue, a lágrima vem com sangue. A saliva sai com sangue. Sai sangue da gengiva, ouvido, sai sangue do olho, intestino etc. Porque todo nosso corpo tem coagulação. Onde tem coagulação sai sangue. É incorreto afirmar que a paciente chora sangue. Ele chora lágrimas com sangue. Lágrimas maculadas com glóbulos vermelhos.
De acordo com o médico, há registros de outros casos parecidos com os sintomas dos de Débora no Brasil e no mundo. Por esse motivo, é necessário analisar os exames que ela já realizou. “Os médicos cearenses fizeram um ótimo trabalho.  O mais provável é que Débora tenha coagulopatia como causa do sangramento, mas também tem de ser investigado esse histórico dela de um possível problema emocional. Se nenhuma dessas hipóteses for comprovada, ela terá de ser submetida a uma tomografia para saber se tem câncer em alguma parte do corpo.
Caso fique comprovado que ela tenha uma PTI, por exemplo, Zola sugere tratá-la até com quimioterapia. A quimio não é usada só para tratamentos de câncer. Em último caso, existe a possibilidade de esplenectomia, que é a retirada do baço. Ele é o filtro das células e destrói as plaquetas do sangue quando as células estão alteradas.”

Débora fará o exame no dia 4 de julho. Até lá, a jovem continuará passando por tratamento psicológico e tomando remédios para controlar a ansiedade e nervosismo. “Chorar? Não quero. Não posso chorar nem de alegria. Senão é sangue para todo o lado”, diz.



. A foto acima foi tirada por uma prima da estudante durante uma de suas crises 
(Foto: Diana Viana de Oliveira / Reprodução)
 


segunda-feira, 27 de junho de 2011

Myrian Rios causa polêmica ao relacionar gays com pedofilia no Rio



Myrian Rios causou polêmica com discurso na Alerj, no último dia 22 (Foto: Divulgação / Alerj)Myrian Rios causou polêmica em discurso na Alerj
no último dia 22 (Foto: Divulgação / Alerj)
A deputada estadual Myrian Rios (PDT - RJ) causou polêmica entre homossexuais e simpatizantes ao declarar-se contra a PEC 23/2007, que muda a constituição do estado do Rio incluindo a orientação sexual como direito fundamental.
Ao discursar na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), na última terça-feira (22), ela disse que não contrataria empregados gays para trabalhar em sua casa, já que eles poderiam praticar pedofilia contra seus filhos e utilizar a prerrogativa da PEC para se manter no emprego, mesmo após cometer o crime.
Eu tenho que ter o direito de não querer um funcionário homossexual na minha empresa, se for da minha vontade. Digamos que eu tenho duas meninas em casa, seja mãe de duas meninas, e resolva contratar uma babá. E sssa babá mostra que a orientação sexual dela é de ser lésbica. Se a minha orientação sexual não for essa, for contrária, e eu querer demití-la, eu não posso. Eu vou estar enquadrada nessa PEC, como preconceituosa e discriminativa. "
Myrian Rios, deputada estadual (PDT-RJ)
“Eu tenho que ter o direito de não querer um funcionário homossexual na minha empresa, se for da minha vontade. Digamos que eu tenho duas meninas em casa, seja mãe de duas meninas, e resolva contratar uma babá. E sssa babá mostra que a orientação sexual dela é de ser lésbica. Se a minha orientação sexual não for essa, for contrária, e eu querer demiti-la, eu não posso. Eu vou estar enquadrada nessa PEC, como preconceituosa e discriminativa. Ué são os mesmos direitos", afirmou.
Myrian Rios continuou o seu discurso, dizendo que "o  direito que a babá tem de se manifestar da orientação sexual dela como lésbica, eu tenho como mãe, de não querê-la na minha casa, para ser babá das minhas filhas. Me dá licença? São os mesmo direitos. Com essa PEC, eu vou ter que manter a babá na minha casa, cuidando das minhas meninas, e sabe Deus, se ela inclusive não vai cometer a pedofilia com elas. E eu não vou poder fazer nada. Eu não vou poder demití-la”.
Este é o primeiro mandato de Myrian Rios como deputada estadual. Em sua ficha no site da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), ela diz que tem duas formações - atriz e missionária católica.
Aqui em casa, eu gostaria que meus filhos crescessem pensando em namorar uma menina para perpetuar a espécie, como está em Gênesis. No momento em que eu descobrir que o motorista é homossexual e poderia, de uma maneira ou de outra, tentar bolinar o meu filho, eu não sei. De repente, poderia partir para uma pedofilia com os meninos. Eu não vou poder demití-lo. A PEC não permite porque eu vou estar causando um prejuízo a esse rapaz homossexual."
Myrian Rios, deputada estadual (PDT-RJ)
Motorista homossexual
Myrian Rios diz ainda que caso contratasse um motorista para seus filhos, e o mesmo fosse gay, ele poderia também cometer pedofilia contra seus filhos.
“Aqui em casa, eu gostaria que meus filhos crescessem pensando em namorar uma menina para perpetuar a espécie, como está em Gênesis. No momento em que eu descobrir que o motorista é homossexual e poderia, de uma maneira ou de outra, tentar bolinar o meu filho, eu não sei. De repente, poderia partir para uma pedofilia com os meninos. Eu não vou poder demití-lo. A PEC não permite porque eu vou estar causando um prejuízo a esse rapaz homossexual”.
Parentes gays
Ao final de seu discurso, a deputada disse que tem parentes gays, mas mesmo assim é contra a PEC 23/2007.
“Agora é um testemunho. Eu na minha casa, eu tenho primos e familiares lésbicas e homens homossexuais. O que eu posso fazer? São pessoas íntimas da minha família, que eu respeito, que eu amo, oro, rezo, clamo e vou fazer o que? É a opção sexual deles. Agora não os desrespeito, não sou preconceituosa, não deixo de conversar com eles, não deixo de amá-los como seres humanos e filhos de Deus. Mas não vou permitir que por uma desculpa de querer proteger ou para que se acabe com a violência e a homofobia, a gente abra uma porta para a pedofilia.”
"Mal-entendido", diz assessoria
A assessoria de imprensa da deputada informou, nesta segunda-feira (27), que houve um “mal-entendido” em relação ao discurso. Ainda segundo os assessores de Myrian Rios, ela não é contra o homossexualismo e defende o direito de liberdade sexual.
A segunda votação da PEC 23/2007, de autoria do deputado Gilberto Palmares (PT-RJ), não aconteceu por falta de quórum. Segundo a assessoria de imprensa da Alerj, o presidente da casa, o deputado Paulo Melo (PMDB-RJ) vai definir uma nova data para votação, o que deve acontecer apenas em agosto, após o recesso dos parlamentares que se inicia em 1º de julho.
FONTE:G1.COM

Parada Gay leva quatro milhões de pessoas à Avenida Paulista


Terminou, por volta das 20h, a Parada Gay de São Paulo. Quatro milhões de pessoas participaram da festa, que, este ano, comemorou aniversário de 15 anos.
A comemoração foi com valsa e debaixo de chuva mesmo. A Paulista ficou tomada de gente e de cores. Para dar um tempero ao evento, teve polêmica com a Igreja Católica por causa dos cartazes com imagens de santos espalhados pela Avenida.
Choveu, e, mesmo sem a ajuda do sol, o arco-íris brilhou. Era aniversário de 15 anos da Parada. Os convidados chegavam a todo momento, de cara limpa ou trazendo a alegria estampada no visual.
“Esse ano vim de branco representando a paz, pedindo muita paz, pedindo muito amor para que as pessoas se amem mais e que acabe a homofobia”, pediu o cabeleireiro Rogério Andrino Tomás.
Como a festa era de debutantes, o vestido de princesa não podia faltar. “Eu só perdi a primeira, porque eu era novinho na época, minha família não deixava eu vir. Mas foi bem gostoso”, contou a drag queen Xênia Star.
A decoração da festa é que não fez muito sucesso. Os cartazes de uma campanha para o uso da camisinha, com imagens de santos musculosos, não agradou a igreja.
“Isso ofende profundamente, fere o sentimento religioso do povo. O uso debochado da imagem dos santos é ofensivo e desrespeitoso, nós desaprovamos”, criticou Dom Odilo Scherer.
As personalidades mais antigas do mundo e as mais poderosas apareceram. Alguns políticos também. Isso sem falar em quem atravessou o oceano só para ver o desfile passar.
“Tenho grande orgulho de ter dois amigos gays, foram eles que me disseram para vir aqui assistir, e realmente está valendo a pena”, elogiou Felipe Sá, engenheiro de telecomunicações que veio de Portugal.
Como toda festa de debutante, tem que ter valsa. O difícil é conseguir um espaço na Avenida Paulista.
Entre os milhares de debutantes, gays, lésbicas, bissexuais e transexuais estavam também os simpatizantes, aqueles sem preconceito. Um ensinamento que vai de geração em geração.
“Eu estou achando bonito. Uma mocinha passou e me deu um papel escrito: ‘o amor é pra todo mundo’. Então é o amor”, disse a contadora Vilma Botelho, de 73 anos.
Tinha até camarote para enxergar a Parada até onde a vista alcança. “É show. Somos privilegiados de estar aqui em cima vendo bem melhor”, garantiu a dona de casa Ana Carla Pereira dos Santos.
Valeu dançar na chuva e se divertir.
“Nós queremos dizer para a sociedade brasileira que nós não queremos transformar as pessoas em homossexuais. Nós queremos a convivência pacífica, a convivência cidadã, de todas as diferenças”, pediu o presidente da Associação da Parada GLBT, Ideraldo Luís Beltrame.
A noite caiu e ninguém se abalou. Os trios elétricos e as milhares de pessoas lotam as ruas com o mesmo pique. Com 15 anos bem comemorados, a Parada Gay se despediu de 2011.
Segundo os organizadores, a Parada do Orgulho Gay reuniu quatro milhões de pessoas ao longo do dia.


DIA SETE DE JUNHO FOI DIVULGADO:

Igreja Anglicana brasileira participará oficialmente da Parada Gay 2011 com trio elétrico próprio


A Parada do Orgulho LGBT de São Paulo deste ano terá um trio elétrico da Igreja Anglicana do Brasil. É a primeira vez que uma igreja participa oficialmente do evento, que ocorrerá no próximo dia 26, um domingo.
A expectativa dos organizadores da 15ª versão da parada é de que 3,1 milhões de pessoas percorram a avenida Paulista, no maior evento do mundo desse tipo.
O tema deste ano faz referência a uma citação bíblica: “Amai-vos uns aos outros: basta de homofobia! – 10 anos da Lei 10.948/01”. Trata-se de uma lei paulista que pune a discriminação a homossexuais.
Ester Lisboa, que cuida da participação da igreja na parada, disse que o nome do trio elétrico provavelmente será “O amor lança fora todo o medo”. Afirmou que o veículo será acompanhado por cerca de 200 pessoas, entre as quais, além de anglicanos, protestantes, anglicanos, metodistas e luteranos. Ideraldo Beltrame, presidente da Parada, é anglicano.
Beltrame disse estar preocupado com a segurança por causa da radicalização homofóbica. A polícia informou que se manterá atenta principalmente na dispersão da parada, quando poderá haver ataques de homofóbicos.
Fonte: Paulopes

A RESPEITO DISSO O CANTOR CANINDEENSE (EVANGÉLICO) ABRAÃO DOUGLAS POSICIONOU-SE: 
"...na verdade ela é a igreja católica da inglaterra
ela tem os mesmo costumes da igreja católica,se diz protestante, mas a considero ainda igreja católica.não mudou praticamente nada.e essa idéia de desfilar dela na parada gay. Uma idéia de girico .acho que eles estão lendo a Bíblia de cabeça pra baixo
Até a igreja católica é contra isso tenho certeza...
certeza não, mas quase..."


DEIXE TAMBÉM SEU COMENTÁRIO! ABAIXO...

domingo, 26 de junho de 2011

Polícia Militar prende homem acusado de assaltar propriedade rural em Canindé

Uma equipe de Radiopatrulha, do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), composta pelos soldados Ferreira , Wendel e C.Santos, conseguiu prender na tarde deste sábado, 25, no centro da cidade de Canindé de São Francisco/SE, um homem conhecido por “Nego do Projeto Califórnia”, procurado pela justiça sergipana desde o ano de 2007, quando participou de um assalto a uma propriedade rural, localizada  no Povoado Curituba, em Canindé, roubando um motor de captação de água.
A equipe da RP fazia o patrulhamento de rotina quando recebeu a informação de que um foragido da justiça se encontrava no centro da cidade, transitando em uma moto CG, de cor vermelha, ano 1994. De posse das informações a equipe se deslocou para o local informado pelo denunciante. Durante a abordagem Nego confessou sua participação no assalto, acrescentando ainda que, no dia do assalto, andava acompanhado de mais três comparsas, fugindo em seguida para a cidade baiana de Paulo Afonso, onde retornaria dias depois para Canindé.
Nego também é suspeito de vários outros roubos na região do sertão de Sergipe.
Por: Genilson Santos, com informações da Polícia Militar/4ºBPM

TRE mantém Prefeito de Monte Alegre no cargo


O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, acompanhando o voto da relatora, Desembargadora Marilza Maynard Salgado de Carvalho, manteve a decisão liminar que concedeu efeito suspensivo ao Recurso Eleitoral interposto contra sentença que cassou os mandatos eletivos do Sr. João Vieira Aragão e Luzivaldo Silva Pereira, Prefeito e Vice-Prefeito, respectivamente, do Município de Monte Alegre/SE.
O Ministério Público Eleitoral ingressou com Agravo Regimental contra a liminar concedida por entender que não restou demonstrado o “fumus boni iuris”, tendo em vista existir nos autos prova robusta do ilícito eleitoral imputado aos agravados.
Em seu voto, a relatora ressaltou que “para se caracterizar a captação ilícita de sufrágio, exige-se prova robusta de pelo menos uma das condutas previstas no art. 41-A da Lei nº 9.504/97, da finalidade de obter o voto do eleitor e da participação ou anuência do candidato beneficiado”, o que não vislumbrou, numa análise superficial de valor, nos autos.
João Vieira Aragão e Luzivaldo Silva Pereira tiveram cassados o diploma de Prefeito e Vice, respectivamente, do município de Monte Alegre/SE, após o Juiz da 18ª Zona Eleitoral julgar procedente a representação promovida pela suposta prática de captação ilícita de sufrágio, condenando-os ao pagamento de multa e a perda do mandato eletivo.
Com a decisão colegiada, o Prefeito e Vice-Prefeito de Monte Alegre/SE serão mantidos nos cargos até o julgamento do Recurso Eleitoral interposto contra a sentença do Juízo da 18ª Zona Eleitoral.  (Da assessoria)

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Voluntários defensores do meio ambiente participam em Canindé do movimento “Salve a Caatinga”

Mais de 50 defensores do Meio Ambiente participaram nesta quinta-feira, 23, em Canindé de São Francisco, de um movimento de reflorestamento denominado “Salve a Caatinga”. O movimento teve como objetivo principal ajudar o bioma caatinga a se recuperar de um incêndio ocorrido há poucos meses, na localidade da Serra do Cruzeiro, próximo a Hidroelétrica de Xingó, em Canindé, onde uma grande área foi devastada. Serviu também para conscientizar a população sobre a importância da preservação do bioma genuinamente brasileiro, o bioma caatinga.
A ação culminou com o plantio de mais de 700 mudas de plantas nativas, a exemplo de pau ferro, angico, aroeira, mulungu, mororó, ipê, catingueira e pinhão. As mudas foram doadas pela Chesf, através da sementeira, abrigada em Piranhas/AL, e pelo “Instituto Vida Ativa” que, promove o plantio, doação e reflorestamento com espécies nativas, tudo produzido em sementeiras próprias.
O secretário de Gestão Governamental e do Meio Ambiente da Prefeitura de Canindé, Kaká Andrade, e a diretora do Dema/Canindé, Veranúbia Avelino, fizeram questão de dar sua parcela de contribuição e puseram a mão na massa, plantando e carregando as mudas sobre a serra para serem plantadas.
O movimento “Salve a Caatinga” foi coordenado pelo Departamento de Meio Ambiente da Prefeitura de Canindé – Dema/Canindé e a acompanhamento do engenheiro florestal Fábio Andrey, também contou com o apoio de integrantes do grupo “Unidos Pelo São Francisco”, do Instituto Vida Ativa, Trilheiros do Sertão, Brigadistas de Combate a Incêndios Florestais, SEFAC /MST, Secretaria Municipal de Turismo, rádio Xingó, Chesf/Sementeira, MFTur e CRAS/Pro – Jovem.
A próxima ação do movimento está marcada para o próximo mês em um dos assentamentos do MST no município.
Por: Genilson Santos
   

quarta-feira, 22 de junho de 2011

POLIGAMIA

Embora a Igreja Mórmon não tenha praticado a poligamia por mais de cem anos, quando muitas pessoas pensam nos “Mórmons”, eles ainda pensam em homens que têm muitas esposas. Na Igreja de hoje em dia, entretanto, as pessoas que praticam o casamento plural são excomungados. A Igreja Mórmon não endossa a quebra da lei e a poligamia foi colocada como ilegal a mais de cem anos atrás.


Em uma entrevista com Lerry King, um apresentador famoso de um programa de entrevistas americano, o atual profeta e Presidente da Igreja, Gordon B. Hinckley disse: “Esta Igreja não tem o que quer que seja com essas pessoas que praticam a poligamia… Eles estão violando as leis civis… Eles não estão somente envolvidos em violação direta das leis civis, mas estão em violação das leis desta Igreja… a Igreja ensina que o casamento precisa ser monogâmico e não aceita como seu membro qualquer pessoa que pratique o casamento plural”.


Em resumo, a poligamia Mórmon não é mais parte da religião Mórmon atualmente. Mas ninguém nega que ela foi praticada no século dezenove. É uma parte da história Mórmon, e uma parte importante.


Por que a poligamia foi praticada pelos Mórmons?


A prática da poligamia entre os Mórmons começou por causa de um mandamento de Deus. As razões exatas para esse mandamento são desconhecidas, mas iremos falar de algumas possibilidades.


Primeiro, Deus restaurou Sua Igreja através de Joseph Smith. Todas as coisas eram para ser restauradas – todos os princípios, todo o conhecimento, todas as partes do evangelho do Senhor. Os profetas antigos, tais como Abraão e Isaac, praticaram a poligamia. A prática da poligamia seria portanto parte de “todas as coisas”, todas parte do evangelho do Senhor, e poderia ser restaurada.


Segundo, no Livro de Mórmon, a poligamia é proibida, a menos que o Senhor precise “Suscitar posteridade para mim” (Jacó 2:30). A poligamia, ou casamento plural, aumentaria os descendentes de famílias Mórmons fieis. E, de fato, os descendentes de família poligâmicas mantiveram a Igreja por anos.


Terceiro, a poligamia ensinou o povo humildade, paciência e amor; todos os tributos que os Cristãos se esforçam para ter. A poligamia Mórmon não era uma prática fácil de viver. Era contra as normas da sociedade. Os maridos tinham que aprender a dividir o seu tempo com suas esposas. As mulheres tinham que aprender como dividir o seu marido e viver bem com as outras esposas. Aqueles que viveram a lei de casamento plural foram refinados e se tornaram pessoas melhores por causa da poligamia.


A poligamia já foi praticada anteriormente?


O Senhor sancionou o casamento plural nos tempos antigos. Os Cristãos geralmente aceitam que Abraão e Israel, ou Jacó, tiveram mais que uma esposa e que isso não foi condenado pelo Senhor. De fato, tanto Jacó quanto Abraão foram abençoados muito além do que podemos pensar. Ainda que múltiplas esposas fossem uma norma da sociedade na época (de uma maneira que não é nos Estados Unidos atualmente), a adoração a ídolos também era uma norma da sociedade e expressamente proibido pelo Senhor. A maioria dos Cristãos não aceita a idéia da poligamia Cristã (porque os Mórmons são Cristãos), e os Mórmons sempre são condenados por essa prática, mesmo um século depois que ela foi descontinuada.


Por que a prática da poligamia foi descontinuada?


A poligamia Mórmon foi praticada por cerca de cinqüenta anos, embora apenas de quinze a vinte e cinco por cento dos membros da Igreja Mórmon estivessem envolvidos.
Perto do fim desses cinqüenta anos, mais especificamente, durante as décadas de 1870 e 1880, o governo dos Estados Unidos promoveu ações contra os poligamistas. Eles revogaram o direito de votar, tomaram as propriedades da Igreja, e aprisionaram homens que viviam a poligamia, cerca de 1.300 homens no total.


Em setembro de 1890, o profeta Mórmon Wilford Woodruff recebeu uma revelação do Senhor que pedia para que se parasse a prática da poligamia.


O Senhor explica Suas razões em Doutrina e Convênios 124:49: “Em verdade, em verdade vos digo que quando eu dou um mandamento a qualquer dos filhos dos homens de fazer um trabalho ao meu nome e esses filhos dos homens usam toda a sua força e tudo o que têm para realizar esse trabalho e não deixam de ser diligentes; e são atacados por seus inimigos e impedidos de realizar esse trabalho, eis que e convém já não requerer das mãos desses filhos dos homens o trabalho, mas aceitar suas ofertas”.


FONTE:http://www.igrejadejesuscristo.org/poligamia

DESVIÔMETRO

Acesse o Desviômetro!

DESMATAMENTO ZERO

QUESTIONÁRIO